Ultimas Notícias

Acusado de matar ex-companheira em Campo Maior tem pedido de liberdade negado pela justiça

O juiz Múccio Miguel Meira, da 1ª Vara da Comarca de Campo Maior, negou o pedido de liberdade provisória de Sebastião Vieira de Sousa, réu na Justiça, acusado de espancar até a morte sua excompanheira, Eliane Lima, no dia 22 de setembro de 2019. A decisão foi dada no último dia 3 de fevereiro.
O magistrado considerou que a liberdade do acusado "representaria ameaça à ordem pública ou prejudicaria a instrução criminal ou que o mesmo se furtaria à aplicação da lei penal", porém não houve modificação dos fatos até a esta data e o acusado foi preso em flagrante após, ter tirado a vida de sua ex-companheira Eliane Lima.
Ainda conforme o juiz na decisão, considerando a gravidade do crime, conforme os fatos investigados, “a revogação da prisão do acusado, neste momento, poderá acarretar sérios riscos à sociedade, especialmente em razão da real probabilidade dele, em liberdade, continuar atentando contra a integridade física de outrem, tendo em vista que possuir conduta delitiva reiterada”, ressaltou.
Entenda o Caso:
Uma mulher identificada por Eliana Lima morreu na tarde deste domingo (22/09) ao sem empurrada pelo ex-companheiro, identificado por Sebastião Vieira de Sousa, cair e bater a cabeça fortemente no chão. O fato aconteceu na Rua Antonino Freire, nas proximidades do Mercado Público de Campo Maior (82 km ao norte de Teresina). O casal vivia maritalmente, mas estava separado atualmente. Sebastião foi preso em flagrante e confessou o crime.
Segundo o Sargento Ibiapina, que comanda a equipe da Polícia Militar no plantão deste domingo, o casal estava consumindo bebida alcoólica na região e iniciou uma discussão, mas não especificou o motivo. “As informações de populares é que o réu confesso empurrou a mulher depois que os dois começaram a discutir, mas ainda não sabemos se tem relação com o fato do casal está separado. Ela caiu e bateu a cabeça com muita força e teve morte imediata, mas a pericia é quem vai indicar as causas da morte”, disse Ibiapina ao Em Foco.
Ainda de acordo com a apuração do Em Foco, o casal vivia consumindo bebidas alcoólicas na região do mercado e já havia brigado várias vezes, sendo, inclusive conduzidos pela polícia ao Distrito Policial, mas acabavam sendo liberados. Os dois moravam no Bairro Matadouro em Campo Maior
A polícia trabalha o caso como feminicídio, que é quando o crime acontece por um conjunto de violência doméstica e familiar ou como discriminação em razão da condição de gênero da mulher.
 Com Informações: GP1

Nenhum comentário