Ultimas Notícias

Homem é indiciado por estupra, ameaçar e torturar a própria mulher na cidade de Altos

A Polícia Civil do Piauí indiciou nessa terça-feira (7) o homem suspeito de estuprar, ameaçar e torturar a própria mulher no município de Altos, a 40 km de Teresina. De acordo com a investigação, ele chegou a filmar as torturas físicas e os abusos psicológicos contra a vítima. A violência durou três dias, em que a vítima foi mantida em cárcere privado.




O delegado responsável pelo caso, Tomaz de Aquino, disse ao G1 que as provas coletadas durante a investigação foram reunidas e encaminhadas para a Justiça. Cabe ao Ministério Público examinar o inquérito e decidir por denunciar ou não o homem pelos crimes.

O suspeito foi preso em flagrante no dia 15 de dezembro, mas foi colocado em liberdade provisória após audiência de custódia. “O juiz determinou que ele ficasse livre com medidas restritivas”, informou o delegado Tomaz de Aquino.


Dentre as medidas restritivas, o suspeito está, entre outras coisas, proibido de manter contato com a vítima e seus familiares.


O crime


No boletim de ocorrência, registrado na Central de Flagrantes de Gênero de Teresina, a vítima descreveu que durante os três dias viveu torturas, ameaças de morte, agressões, abusos psicológicos e foi estuprada. O homem estaria se vingando por acreditar que teria sido traído.

A denúncia diz que ele a agrediu com murros, a amarrou sem roupas em uma árvore e usou uma corda para agredi-la, cortou seu cabelo, jogou gasolina em seu corpo e ameaçou atear fogo, usou um facão para ameaçá-la de morte e agredi-la.


Em determinado momento, durante as torturas, ele teria usado o próprio celular da vítima para registrar as agressões. Nos vídeos, segundo a denúncia, a vítima foi obrigada a dizer que “a culpa era dela, por ter traído o marido”.


Ele teria ainda obrigado ela a gravar trechos onde se despedia do filho, que tem com o suspeito, porque ele dizia que iria matá-la.


Vítima conseguiu fugir

Para evitar que fosse denunciado, segundo a vítima, o suspeito teria saído com ela de casa, usando uma faca para mantê-la como refém, e ido para a frente do Posto de Policiamento Ostensivo (PPO) da cidade.

Nesse momento, aproveitando uma distração do agressor, ela conseguiu correr até o Posto e denunciou o que estava acontecendo. O homem foi preso em flagrante e encaminhado à Polícia Civil.


Familiares, que preferiram não se identificar, e que estão temendo pela vida da vítima e de parentes próximos, informaram que a mulher é casada há 20 anos com o suspeito e que o homem sempre foi agressivo, mas que a vítima tinha medo de denunciar e ser assassinada ou ter seus parentes feridos.


Fonte: G1

Nenhum comentário